Não tenha medo de ficar só

Estar sozinho não é sinônimo de solidão. Quando estamos solitários ficamos tristes, angustiados, como se faltasse um pedaço da gente. Mas estar sozinho tem outro significado, que muitas vezes não compreendemos.

É fato que o ser humano é por natureza sociável. Precisamos de amor, amigos e família para trocarmos energia, para nos alimentarmos. Essa troca é essencial para a vida. Mas a grande incompreensão surge quando achamos que o oposto é ruim, negativo. Isso não é verdade.

Ficar sozinho pode ser uma oportunidade, e não um sacrifício. É o momento em que podemos curtir a nós mesmos, refletir sobre a vida, descansar. E uma chance também de adquirirmos novos conhecimentos e habilidades. Nesses momentos podemos ler, escrever, ficar em paz…ou quem sabe até dançar, de um jeito desengonçado, já que ninguém vai estar vendo? Tudo é possível, basta querer.

O medo excessivo de estar só já é até classificado como doença: monofobia. Trata-se de uma desordem emocional que pode causar diversos sintomas, como sensação de asfixia, enjoos e taquicardia. Saiba mais sobre o assunto aqui.

O grande problema é que na sociedade atual se tornou quase impossível termos um tempo total somente para nós mesmos. Estamos cercados por celulares, computadores, etc. Mesmo quando não estamos na companhia presencial de alguém, estamos de alguma forma em contato com o outro, ou com outros, por redes sociais, whatsapp, etc. Muitas vezes ficamos sufocados e nem percebemos. É aí que devemos redobrar a atenção.

É preciso saber dosar esses contatos. Refletir. E, principalmente, não ter medo de ficar só. É no silêncio que nos recuperamos para conviver com o próximo. Pense nisso. Dê uma chance para si mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *