Apaixone-se pelas possibilidades e seja plena (o)

Por Tamyres Matos, jornalista e colaboradora do blog //

Relaxe, nada está sob controle. Essa frase define a insustentável leveza do ser. Ela contém tudo o que há de mais leve (junto com o que há de mais pesado) no ato de existir. Ela tem ilustrado muitas peças divulgadas por fanpages e perfis no Instagram dos mais variados, especialmente àqueles mais voltados para uma existência focada no viver o momento, na gratidão, na espiritualidade, no agora. Em seu último vídeo divulgado no ano passado, a youtuber do Niterói, atualmente residente em São Paulo, Julia Tolezano (Jout Jout) refletiu sobre a nossa relação com os imprevistos.

Ela aconselha (repercutindo uma conjectura íntima) que nos apaixonemos pelo imprevisível. Volta atrás, lembra da certeza da finitude da vida dos seres amados (assim como a nossa), e decide: não precisa necessariamente se apaixonar, mas é importante relaxar. Tudo pode acontecer, inclusive nada. As possibilidades são infinitas e controlamos pouquíssimas coisas. Faça planos, defina rumos, mas não fique ansioso esperando que tudo aconteça de acordo com o que você imaginou. Nunca conseguiremos antecipar o porvir.

E por que essa é uma leveza, por vezes, insustentável? Somos uma geração de ansiosos. Queremos ser algo de especial, ter aquilo que sonhamos. Queremos significar mais do que poeira estelar. É uma missão idealista que pode se tornar um fardo, um gatilho para distúrbios mentais. Precisamos nos abrir ao acaso, ele tem um poder magnético demais para que sigamos o ignorando. É claro que coisas muito ruins também podem acontecer, mas, por outro lado, momentos maravilhosos podem estar a nossa espera na terceira esquina da quarta rua que passarmos numa quinta-feira banal de agosto.

Cazuza e Frejat compuseram a canção que ecoou nos anos 80: “Pra quem não sabe amar, fica esperando alguém que caiba nos seus sonhos”. O amor romântico acaba por ilustrar nossa argumentação. Por vezes, queremos que o ser amado preencha pré-requisitos que criamos na nossa imaginação. O mesmo pode acontecer com a vida. Temos metas e cobranças para os 20, para os 30, para os 40… pode ser exaustivo. Quem está lendo, pode concluir: “Isso acontece por causa das cobranças da sociedade”. É verdade, mas temos que tomar as rédeas da situação quando o assunto é a busca por uma vida mais saudável, mais plena. Sejamos fiéis a nossa verdade. É a busca de uma vida. Podemos começar agora.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *